12 de jul de 2012

A DISSOLUÇÃO DO CRACK

Crack não é solução, é dissolução. Em português, derivado do inglês, craque de bola é aquele que, tendo a bola nos pés, a domina tão bem que quebra o jogo do adversário; por isso é um craque; sabe o que fazer com a bola.  Os craques mudam o ritmo do jogo e encontram sempre uma solução em favor do seu time. Pelé foi um craque. Zico, Maradona, Ronaldo e Neymar podem ser listados como craques de bola. Foram ou são craques com os pés.
Mas há outro crack que faz o oposto. Ao invés de quebrar o ritmo do jogo e dos outros, quebra a pessoa. Esse crack, que é uma droga, cria vidas drogas e, ao invés de quebrar o jogo a favor da pessoa, quebra a pessoa a favor do traficante. Sua vítima, em poucas semanas começa a desconjuntar-se de forma tal que em poucos meses é um morto vivo.
O usuário de crack não tem vontade para mais nada, senão para mais crack, até que aconteça um crééékk e, segundo dizem os americanos, um crackdown. O sujeito implode!
Em português, craque soluciona o jogo. Já, o crack problematiza e destrói tudo. Lembra-se daquele vaso bonito que você fez com todo carinho, porque era uma obra de arte? Pois é! Puseram dentro dele não se sabe que maldita substância que ele inchou e fez craaaack; trincou, não serve para mais nada, está todo cheio de rachaduras.
Acontece o mesmo com meninos e meninas, homens e mulheres, filhos e filhas, funcionários, artistas, cantores, pessoas que prometiam tanto e acabaram trincados, estilhaçados por causa de uma substância que enfiaram no nariz, puseram na língua, injetaram nas veias ou fumaram.
Para apressar a vida acabaram apressando a morte. Eram ricos de conteúdo, e a droga por um tempo parecia torná-los ainda mais ricos. Mas em pouco tempo ela os esvaziou como balão ou pneu que foi se enchendo de furos.
Eles sabem o que está acontecendo com eles, só não sabem deixar de acontecer, sabiam quando estava acontecendo, mas não souberam parar. De tal maneira artificializaram a sua vida que agora já não sabem mais o que é, e o que não é vida; arrastam esta não vida, sem saber exatamente como, para o que, e para aonde. Droga é o desmotivo.


Pe. Zezinho, scj