6 de mar de 2012

HISTÓRIA DE SIMONE - MÃE ADOLESCENTE - CAPÍTULO 13

Sabe o que quero para o meu bebê? Eu quero uma vida melhor do que a minha.
Não sente, às vezes, qualquer mágua porque ele mudou a sua vida?
Tem uma garota, no meu bairro, mãe solteira, quer dizer, mãe adolescente..., que bate no filho. Tem raiva do menino, porque ele estragou a sua vida. Mas acho que ela precisa de um psiquiatra. Eu não tenho conflito com o meu bebê! Espero nunca ter, porque gosto de criança. Vou ser mãe adolescente e sem casamento, porque gosto de criança. Jamais faria um aborto, pois acho que um bebê vale mais do que um adulto. Não há coisa mais linda do que um bebê.
Você sempre pensou assim?
Agora estou pensando. Antes eu não pensava muito sobre estas coisas. Esta gravidez me trouxe outro jeito de ver as crianças. Pelo menos me ensinou mais amor pelas crianças. Me fez ver que meu bebê é mais importante que meu nome. Sofro para salvar um bebê que não conheço, mas que é meu filho.
Maternidade deve ser uma experiência dolorosa como no seu caso, mas para a mulher é sempre bonito. Eu digo isso como homem que vê as mulheres grávidas e felizes. Um homem nunca entenderá o que sente uma mulher grávida.
Nem antes nem depois. A própria mulher não entende. A menina menos ainda. Eu sou, como você diz, inteligente, mas nunca entendi o que é ser mulher. E continuo sem entender o que fiz, o sexo que pratiquei, a gravidez e tudo o que aconteceu... É bonito e é feio...