5 de jan de 2012

VOCÊ A MILHÕES DE OUVIDOS

O que você pensa de um cardiologista que estudou mais ou menos, lê pouco, atualiza-se pouco e sabe mais ou menos que remédios receitar e está totalmente defasado sobre cirurgia do coração? Confiaria nele?
O que você pensa de um pregador que estudou mais ou menos, lê pouco e dá diagnóstico apenas na base do Deus quer, que fará, Deus curará, a Bíblia já disse? O que você pensaria de um pregador que não lê mais do que três livros por ano e ainda por cima, só lê livros de testemunhos de vida, nunca os de conteúdo sólido?
Confiará num pregador que fala como nunca estudou história, psicologia, pedagogia, teologia ou filosofia. Se pelo discurso você vê que ele é repetidor de frases e não tem um pensamento articulado, vai confiar nele? Basta a um pregador ser piedoso, ou precisa ele conhecer as realidades em que vive e analisar comportamento humano, para encaminhar os mais feridos aos especialistas? Ou vai brincar de psicólogo e de psiquiatra em nome da Bíblia?
Agora você é jovem e é claro que suas chances de atrair público pequeno ou grande, são muito grandes. Se Deus lhe pedir para você atingir multidões, criará as condições para isso. Mas você terá que armazenar piedade e conhecimento para corresponder à tão grande missão. Não brinque de repetir frases prontas; não force seu espaço na mídia. Por mais charmoso e esperto que seja, mostre que também é estudioso.
Você perderá e prejudicará o povo se apostar demais no seu charme. Charme cansa. O que dura é o conteúdo. Entenda que o sucesso é passageiro, como são as ondas nas quais se surfa. Mesmo que dure 10, 20 ou 30 anos, você terá que ceder o seu espaço para os mais novos e incentivá-los, elogiando ou criticando porque, então, você terá tido mais experiência.
Mas prepare-se para ser aplaudido, muito aceito, estar em evidência e, depois, para ficar menos evidente. Neste momento se verá se você tem espiritualidade e ascese suficiente para declinar com dignidade. Veja nossos grandes bispos dos anos 60 e 70. Pouco se fala dos que ainda estão vivos, mas mostram soberana dignidade. Isto é espiritualidade. Faça como o Sol, que tem uma cor e emite um tipo de calor quando nasce e sobe e outra no seu ocaso, mas nunca deixa de emitir sua luz; faça como vela que, quando jovem, brilha e emite uma luz alta e depois derrete sem perder a chama.
Quer ser famoso? Seja! Mas prove que tem capacidade para viver debaixo dos holofotes. A mesma luz que bronzeia pode encher uma testa de bolhas!
Pe. Zezinho scj