4 de out de 2011

GRAÇA ARMAZENADA

Duas chuvas prolongadas trouxeram um aguaceiro no sertão. Na fazenda Galo Preto aquelas águas se perderam, porque não havia sistema de captação. Na Fazenda Uricoró foram inteiramente aproveitadas. Sobrou água para o ano inteiro. Souberam armazenar.

É assim a graça de Deus. Uma parte, Deus manda. Depois, pode acontecer de não caírem tantas graças. A outra parte depende de nós. Se soubermos armazenar a graça recebida hoje teremos com o que nos abastecer amanhã. Não devemos esperar que chova no sertão toda a vez que alguém precisar de água. Não devemos esperar que Deus derrame suas graças toda a vez que precisarmos delas. Um dia ouviremos a voz de Deus a nos dizer: - “O que você fez com as graças copiosas que eu já lhe dei? Porque as desperdiçou?

É disso que falava São Paulo na sua carta aos Romanos, 5,20 a Timóteo (1 Tm 1,14) Ela é abundante. Que a graça de Deus não caia em vão sobre nós. Temos que aproveitá-la (2 Cor 6,1). Façamos com que ela renda, consoante a parábola dos talentos narrada por Jesus (Mt 25, 14-30) Aprendamos a armazená-la. Maria fez isso. Armazenava tudo no coração. Não desperdiçou nenhuma experiência ao lado de seu filho. Não deixou passar e ensinou a não deixar passar. (Lc 12,19)

Quem capta água de chuva, porque fez a sua parte, terá frutos, flores e pastagens. Quem deixa perder, fica pedindo que Deus mande outra chuva. Pede o milagre da hora, quando o milagre já veio há meses, mas não foi aproveitado! Façamos como o dono da Fazenda Uricoró. Ter chuva duas vezes por ano depende da estação e do céu. Ter água o ano inteiro depende da sabedoria de quem soube armazenar! Não é muito diferente com a graça de Deus. Armazenemo-la, porque virão dias de canícula!...



Pe Zezinho scj