11 de set de 2012

10º HÁ QUEM DIGA... QUE O AMOR É UM RIACHO...

É bonito,
É bonito
e é bonito!

Existe um jeito de amar ao qual se chama ÁGAPE. É o amor de quem comunga junto todas as experiências da vida. Não pára no sexo, não depende de sexo, pode existir sem sexo.
É partilha de tudo: alegrias, lágrimas, esperanças, verdades e segredos, cruzes e transfigurações, momentos bons e ruins, longe, perto, em todas as circunstâncias.
É sereno, bonito e abrangente. Não gravita em torno do prazer carnal, e, sim, da alegria de estar junto e de sonhar juntos e serenos.
O amor ÁGAPE não nega nem teme a sexualidade, mas sabe assumi-la no seu contexto pleno. Se é amizade, é amizade; se é namoro, é namoro; se é casamento, é casamento.
Os impulsos são controlados e canalizados em função da relação que os dois decidiram viver.
O amor ÁGAPE nunca é atrevido, nunca se descontrola, não força o outro a nada, não perde a cabeça, não passa dos limites, não faz agora, para se arrepender depois.