21 de jun de 2012

A GRAÇA QUE NOS CAPACITA

Graça é uma palavra que vem do latim, como tradução da palavra grega “xaris”. Em grego significa charme, qualidade a mais, algo que qualifica. Em latim significa um dom que não teríamos por nós mesmos, embora já tenhamos a nossa graciosidade. A graça divina, porém é sempre uma ajuda, um auxílio, um algo a mais que o ser humano precisa. É a história do filho que não consegue atravessar sozinho a correnteza, porque suas pernas são frágeis. O pai lhe dá a mão, ou coloca-o no colo, e atravessa a correnteza. Mas muito mais pedagogo é o pai que dá a mão e não o colo para o filho e ensina-o a enfrentar a correnteza, lhe dá segurança de que, ajudado pela mão do pai ele não será levado pelas águas.
O Deus que nos dá a sua graça e seus favores, também nos dá a coragem e a valentia para enfrentar as dificuldades, e a certeza de que estará conosco durante a jornada e em qualquer travessia. Deus não nos dá corda e solta. Não somos seu brinquedo. Ele incentiva e ensina a nos mexermos. Tem que vir de nós. Não temos que a toda hora precisar que Deus nos dê corda!
A graça de Deus é como o holofote que alguém acende lá fora para que, dentro da casa que escureceu, esta luz forte de fora, nos ajude a encontrar nossas velas e nossas pequenas luzes, e com elas reparar a luz que se apagou. A luz de Deus nos dá a graça de encontrarmos as nossas pequenas luzes, e de valorizarmos os nossos pequenos dons; dons que trazemos com o nascimento. Enfim, faz parte da criação continuada, o favor e a graça de Deus. Mas ele não faz tudo por nós.
Aquele que nos criou não só nos colocou neste mundo, mas importa-se conosco e, quando precisarmos, vai dar uma força extra, para vivermos o seu projeto. Não nos criou e depois abandonou. Criou e continua importando-se conosco. Se pedirmos, Ele atenderá, porque Jesus disse com muita clareza, que era para insistirmos; “Pedir e receberei, batei e abrir-se-vos-á, buscai e achareis” (Mt 7, 7). Peçam, procurem, batam... Jesus garante que Deus atende, mas é preciso buscar e fazer a nossa parte. Como é que eu vou sair do poço, se não pego a corda que as pessoas estão me jogando? Como é que vou escapar do afogamento, se não seguro a corda que alguém me joga? Eu tenho que fazer a minha parte, porque Deus já fez a Dele. Nunca deixou de amar, embora exista gente que não aceita ser ajudada. Isso mesmo! Existe gente que não corresponde à graça que Deus dá, e existem olhos que não suportam a luz do Sol.
A graça de Deus existe. Os raios de sol existem. Não é porque não os queremos que eles deixam de existir. O sol é uma realidade. A graça de Deus também.
Pe. Zezinho, scj