3 de mai de 2012

O TWITTER E O ARROTO

Não acontece com todos. Muitos que recorrem ao twitter agilizam a notícia e o fazem com grande maturidade. Mas há os imediatistas e um dos símbolos da era do imediatismo é o twitter. Na verdade, existe o twitter que é a notícia rápida e informação em tempo hábil. Existe outro twitter que é o arroto de algo não digerido.
O twitteiro precisa escolher que tipo de twitter oferecerá e o seguidor precisa decidir que twitter aceitará. Há o sujeito que come e arrota para mostrar o que comeu, mas ainda não digeriu; há o twitteiro incontrolado que não consegue fazer silêncio, nem guardar para si; tem que contar imediatamente o que nem sequer elaborou.  É um tipo de fofoqueiro eletrônico.
Penso em Maria, a mãe de Jesus, que hoje certamente não seria twitteira: ela elaborava os fatos no coração...  A palavra é elaborar; o twitteiro viciado em mediatizar a notícia não elabora; põe para fora o que acabou de começar a mastigar.
Todos os comunicadores de agora, deveriam ler o excelente livro do filósofo Jean Baudrillard: “A Transparência do Mal, “Ensaio sobre os fenômenos extremos”. O livro mostra um tipo de mídia como fenômeno extremo e imediatista. Não se negue o valor do twitter nem dos que dele fazem uso. Tem seu valor e sua utilidade. Questionem-se os excessos. Há notícias urgentes e há notícias apressadas. Registre-se a diferença!
Pe. Zezinho scj