21 de fev de 2012

HISTÓRIA DE SIMONE - MÃE ADOLESCENTE - CAPÍTULO 12

MINHA CABEÇA CRESCEU COM A MINHA BARRIGA

Estou pensando nos seus pais. Por quê?
Eles, talvez, não saibam o quanto você é adulta para a pouca idade que tem.
Acho que fiquei adulta com essa gravidez. O sofrimento destes meses mexeu muito comigo. Acho que minha cabeça cresceu com a minha barriga.
E o coração também...
É. Até acho. Mas eu não sou feliz, porque o pequeno estranho que entrou na minha vida vai ter uma mãe muito criança. Eu não sei se vou educar direito. E se for menina acho que ela vai se sentir minha irmã, ao invés de ser minha filha!
Veja o lado bonito de tudo isto! Você vai ser mãe desta criança e mãe adolescente porque quer, e porque teimou em não tirar a criança. Será a sua prova de amor e maturidade o dia em que a criança questionar a mãezinha jovem sobre o seu passado.
Vou cria-la para o amor, mas vou orientá-la melhor do que fui orientada.
Vai dizer a ele ou a ela o quê, por exemplo?
Que o mundo nem sempre ensina toda a verdade sobre o amor; que a gente não deve se deixar levar pelo impulso; que existe um relacionamento que é bonito e outro que não é; que há carinhos puros e carinhos mentirosos. Que a maioria dos homens não presta e que o pai dela não presta, é um canalha...
Vai jogar a criança contra o pai?
Não. É só raiva que eu sinto agora. Eu não vou ensinar nada disso. Eu não vou criar meu filho no ódio.
Eu não disse que você tem um coração bonito?