28 de set de 2011

Texto do livro: "O Profeta do Verbo Ir"

1- PROCURA-SE UM PROFETA

  
Procura-se um profeta que não seja medíocre, nem viciado em auto-exposição;
que saiba profetizar sem converter-se no único portavoz do reino;
que não imponha pelo poder de compra as suas idéias em toda a Igreja;
que admita, na terra, a existência de outros profetas;
que saiba a diferença entre profecia e vaticínio;
que fale do futuro sem esquecer, nem o presente, nem o passado;
que tenha a coragem de abrir a boca até contra quem o patrocina;
que não confunda franqueza com má educacão;
que não pense que basta falar contra algo para sanar um problema;
que viva o que propõe aos otros;
que, além de juntá-las para orar e bater palmas,
saiba usar as maõs para proteger e elevar os feridos e levantar os confusos,
ao invés de se valer delas para ameaçar quem deles discorda;
que não saia como por ai, como um novo Don Quixote, procurando problemas;
que assine manifiestos contra, mas também os assine a favor;
que seja honesto a ponto de ver o lado bom dos seus adversários;
que não declare fora do Evangelio que não canta no seu tom;
que não aprisione a palavra dentro das suas intrigas;
que não torne hermética a palavra do Senhor.

Procura-se um profeta que profetize com palavras e atos e não com palavras de ordem;
que tenha a dignidade de morrer sozinho por aquilo que prega,
sem levar incoentes ouvintes a morrer no seu lugar,
diante de algum fuzil de perseguidores de profetas;
que admita que profecia não é sinônimo de infalibilidade;
que não seja profeta de um só livro ou de apenas uma estacão;
que não profetize com ódio;
que não profetize com melosidade;
que não profetice com sarcasmo;
que não profetice com malícia;
que profetize con ternura, até na exata hora da adversidade;
que fale um poco mais de Jesucristo
e um pouco menos dos profetas de seu tempo;
que saiba que os profetas também passam;
que entenda que não é a  fama que consagra o profeta,
nem é a controvérsia que o afirma;
que saiba a diferencia entre popularidade e profecia,
que saiba a diferença entre virulência e profetismo;
que não confunda política, com fé ou credo;
que não substitua incensos por metralhadoras;
que não substitua a verdade pela bajulação.


Enfim, procura-se um profeta que, apesar de tido como louco,
saiba portar-se com lucidez.
Procura-se um profeta que reze,
mas não confunda show eucarístico, promessas de cura e revelações
com adoração ao Santíssimo.
Procura-se um profeta que não tenha medo,
mas não pense que basta provocar celeuma para ser um bom profeta.
Procura-se um profeta adulto e maduro,
mas suficientemente rebelde para não fazer média com a mídia
nem se deixe carimbar por frases feitas.
Alguém que se habilite?
                              
                                               Jose Fernandes de Oliveira,
                                               Pe Zezinhos  scj